LTSP – Linux usado para thinclients

 

Olá, estou eu aqui de novo depois de um bom tempo sem postar nada. Desta vez para falar sobre Linux e Terminais Leves.

Terminais leves são feitos utilizando computadores velhos, sucateados, sem HD, sem driver de cd/dvd e com pouca memória RAM. Ou então com hardware específico, geralmente processadores VIA C7 (400MHz), 128MB RAM com no máximo um Compact Flash de 1GB.

Para “brincar” instalei em meu notebook o VMWare Workstation versão 9.0. Criei então 4 máquinas virtuais, a primeira seria o servidor LTSP (80GB de HD< 2GB de RAM, duas placas de rede e um processador dois núcleos de 2.26GHz). As outras 3 são os terminais burros(sem HD, 64MB RAM, placa de rede). Configurei uma das placas de rede do servidor para conectar na internet via NAT com o notebook e a outra em uma rede interna formada juntamente com os terminais burros.

Instalei o Debian 7.0 no servidor com aplicativos básicos. Depois instalei os pacotes:

# apt-get install dhcp3-server
# apt-get install tftp-hpa
# apt-get install nfs-kernel-server
# apt-get install openssh-server 

# apt-get install ltsp-server-standalone

O último pacote instalado é o LTSP propriamente dito. Para criar o ambiente chroot em “/opt/ltsp” onde o LTSP rodará, o comando é:

# ltsp-build-client –arch=”i386″ 

Hora de configurar as coisa. Começamos pelo DHCP, definimos uma subrede 192.168.37.0/24 com IPs de 100 a 200, sem mais nada. Observando que pro DHCP server indicar o boot via rede para os terminais ele deve conter algumas linhas específicas ao final.


option root-path “/opt/ltsp/i386″;
if substring( option vendor-class-identifier, 0, 9 ) = “PXEClient” {
filename “/ltsp/i386/pxelinux.0″;
}
else{
filename “/ltsp/images/i386.img”;
}
}

Temos que alterar o arquivo /etc/default/isc-dhcp-server para que o dhco só funcione em uma das interfaces,

INTERFACES=”eth1″

e depois o arquivo /ets/network/interfaces

iface eth1 inet static
address 192.168.37.1
netmask 255.255.255.0

Depois temos que configurar o servidor tftp, indicando qual a pasta que conterá os arquivos de boot e como trabalhará:

TFTP_USERNAME=”tftp”
TFTP_DIRECTORY=”/var/lib/tftpboot”
TFTP_ADDRESS=”0.0.0.0:69″
TFTP_OPTIONS=”–secure”
RUN_DAEMONS=”yes”

O inetd.conf determina quais são os serviços de rede que ficam disponíveis para os terminais.

2000    stream  tcp nowait  nobody /usr/sbin/tcpd /usr/sbin/nbdrootd /opt/ltsp/images/i386.img

Esta linha configura o diretório onde está a imagem chroot compactada do sistema. O LTSP mantem uma copia do sistema atualizada que será enviada para cada cliente. Vem então a configuração do NFS que compartilhará a pasta do ltsp e a home do usuário que logar

/opt/ltsp/i386 192.168.0.0(rw,no_subtree_check)
/home 192.168.0.0(rw,no_subtree_check)

Por fim reiniciamos o servidor para que todos os serviços sejam reinicializados e estejam prontos para o teste final.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *